AO VIVO
Menu
Busca sexta, 14 de maio de 2021
Busca
Cuiabá
33ºmax
18ºmin
Correios Celular - Mobile
Crueldade

EDITORIAL: Denuncie maltratos contra animais

Apesar de agonizar por socorro mulher gargalha

31 dezembro 2020 - 11h00Por Presidência

A violência contra os animais, em especial os domésticos, que são adotados para serem amigos, companheiros, filhos é uma das coisas mais deprimentes que um ser humano pode cometer. É quase como se o maltrato fosse feito com uma criança, com o agravante que os pets não conseguem se defender e nem denunciar a maldade humana, principalmente quando são pequenos, estão subjulgados e indefesos.

O Diário Popular IPTV tem um posicionamento radical contra o maltrato de animais domésticos. São muitas as imagens que circulam pela Internet e, aqui, queremos ser a voz dos pets maltratados. E você pode ser a voz desses animais também, ajudando a denunciar os absurdos que ocorrem. "A qualquer momento você pode mandar fotos, vídeos e denúncias de maltratos de animais para denunciarmos", destaca Ronaldo Santos, presidente do Diário Popular IPTV. Mande para o e-mail [email protected], com o máximo de informações possível, que faremos chegar às autoridades competentes.

Símbolo da maldade 

Para iniciar essa campanha de denúncias, o Diário Popular IPTV escolheu um vídeo que vem circulando nas redes sociais, em busca de identificar uma criminosa! A imagem que você vai ver nesse vídeo é de causar mal estar em qualquer pessoa que tenha o mínimo de afeto por animais.

O vídeo mostra uma mulher, com idade entre 18 e 20 anos, se exibindo pisando no pescoço de uma cadelinha com uma bota de salto agulha. É possivel ver ela totalmente em cima do cachorro, de pequeno porte, e se apoiando na parede para poder chutar e pisar a barriga do animalzinho, com um dos pés. Apesar de estar ouvindo uma música funk a mulher dá risada, brinca faz sinais de roqueira, durante o ato de crueldade, contra o cachorrinho que agoniza sob o peso de pelo menos 60 kg da assassina. O animal pressionado pelo peso da mulher e por ter o pescoço esmagado por um salto alto agoniza até não ter mais forças para latir. No vídeo ainda é possível ver um símbolo de uma caveira, com boina vermelha e uma faca atravessada na boca.

Não se sabe que tipo de apologia essas pessoas pretendem, mas a ignorância fala alto nesse caso, já que na verdade a imagem da "faca na caveira" significa a "vitória sobre a morte".  O Diário Popular IPTV divulga o vídeo como uma forma de repúdio a esse tipo de atitude praticada em pleno período de uma pandemia mundial de covid-19. O objetivo do jornal é que essa mulher seja identificada e presa. Quem souber quem é a mulher do vídeo por favor entrar em contarto com o Canal do Leitor ([email protected]

Vale lembrar o Brasil tem lei específica contra maus tratos de animais. O Presidente Jair Bolsonaro sancionou, no dia 29 de setembr,a Lei 1.095/2019, que aumenta a punição para quem praticar ato de abuso, maus-tratos, ferir ou mutilar animais. A legislação abrange animais silvestres, domésticos ou domesticados, nativos ou exóticos, incluindo, aí, cães e gatos, que acabam sendo os animais domésticos mais comuns e as principais vítimas desse tipo de crime. A nova lei cria um item específico para esses animais. 

O novo texto modifica o artigo 32 da Lei de Crimes Ambientais 9.605/98, que previa a pena previa de três meses a um ano de reclusão, além de multa.

Agora, este crime passa a ser punido com prisão de dois a cinco anos, multa e proibição da guarda, a novidade do projeto. Antes, a pena era de detenção de três meses a um ano, além de multa.

De acordo com a Secretaria-Geral da Presidência da República, o presidente não vetou nenhum dispositivo da nova legislação, oriunda do projeto de lei 1.095/2019, de autoria do deputado federal Fred Costa (Patriota-MG).

A pena de reclusão da nova lei prevê cumprimento em estabelecimentos mais rígidos, como presídios de segurança média ou máxima. O regime de cumprimento de reclusão pode ser fechado, semiaberto ou aberto.

De acordo com dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o Brasil tem 29 milhões de domicílios com, pelo menos, um cachorro e mais 11,5 milhões com algum gato.

Em meio à pandemia da covid-19, que manteve mais pessoas em casa, aumentaram os registros de denúncias de maus-tratos a cães e gatos, segundo relatos de organizações não-governamentais de defesa e proteção animal. De acordo com a Delegacia Eletrônica de Proteção Animal (DEPA), somente em São Paulo essas denúncias de violência contra animais apresentaram aumento de 81,5% de janeiro a julho de 2020, em relação ao mesmo período do ano anterior.